O Antigo Testamento é um conjunto de 39 livros históricos, poéticos e proféticos e assim mesmo eles são divididos. Os 17 primeiros são livros históricos, sendo que os cinco primeiros formam o Pentateuco e os outros 12 livros compõem os Livros Históricos. Os 5 livros seguintes formam o grupo dos Livros Poéticos. O restante são 17 livros proféticos, escritos por profetas de Israel subdivididos em Profetas Maiores com cinco livros e Profetas Menores com doze livros. 

 

É muito importante compreender o contexto dos livros do Antigo Testamento, pois como já visto em artigos anteriores, todos estes livros foram escritos por Judeus e direcionados ao povo de Israel. Portando muito cuidado deve-se ter ao tentar compreendê-los, pois o contexto dos livros foi de uma época diferente, de povos diferentes e uma mensagem bem diferente ao se comparar com o Novo Testamento.

 

Muito embora os Testamentos estejam entre si relacionados, pelo fato de o Novo ser cumprimento do Antigo, é importante compreender alguns fatores dos quais sem eles é impossível ter um correto entendimento destes livros. Principalmente aqueles do início que contém uma história e uma Lei específica dada por Deus para os Judeus e os livros do final que contém muitas profecias, cumpridas e não cumpridas ainda.

 

Estes dois assuntos, compreendidos de uma forma errada, por si só já causam muitas divergências dentro do cristianismo. Logo é extremamente importante saber ou buscar saber algumas destas questões essenciais para a compreensão dos livros da Bíblia. Algumas destas questões são:

 

Quem escreveu o livro?
Quando o livro foi escrito?
Direcionado a quem o livro foi escrito?
Qual era o contexto histórico daquela época?

 

Somente depois de respondidas estas e outras questões é que podemos compreender os textos do livro. Somente com uma correta compreensão destes livros é que podemos com segurança atribuir seus ensinos aos ensinamentos de Deus. 

 

Um grande exemplo de como um texto bíblico pode ser mal interpretado e como isso pode gerar confusão é o livro escrito pelo profeta Malaquias, o último livro do Antigo Testamento, que foi escrito pelo próprio profeta cerca de quatro séculos antes de Cristo. Já no primeiro versículo do livro é possível identificar quem escreveu e para quem ele escreveu. 

 

"PESO da palavra do SENHOR contra Israel, por intermédio de Malaquias."
(Ml 1:1 ACF2007).

 

Durante o restante do livro Malaquias reforça estar o tempo inteiro se dirigindo a nação de Israel. Alguns versículos do final deste livro são usados apelativamente para conduzir massas religiosas nos dias atuais.

 

Portanto, é imprescindível que, ao ler as Escrituras, o leitor esteja sabendo realmente o que está lendo. Estas questões são as mais básicas, mas nada nos impede de pesquisar até mais profundamente sobre todo este contexto, assim nós só temos a ganhar no entendimento da Palavra de Deus.

 

 

 

Compartilhe este Artigo no Facebook:


Deixe Aqui seu Comentário: